spot_img

Musicoterapia: A cura harmoniosa para silenciar as enfermidades

“Sem música a vida seria um erro”, escreveu o filósofo alemão Friedrich Nietzsche em 1889, e ele não estava errado. A música, além de forma de expressão artística e cultural está ligada a identidade das pessoas e a forma como se relacionam com a própria vida.

A música está ligada a sentimentos e emoções. Ouvir e produzir música é quase sempre uma atividade prazerosa, seja sozinho ou acompanhado. Desta forma, a utilização de música como forma de terapia é uma alternativa que agrega arte e saúde, permitindo uma abordagem de tratamento natural e atrativo.

Canções, sons e ritmos, em vez de medicamentos, regras e consultas. É isso que a musicoterapia oferece. O tratamento não possui restrição de idade e sua aplicabilidade é muito ampla, podendo ser utilizado como técnica complementar de qualquer procedimento, seja ele de saúde, aprendizado ou lazer.

O que vem a ser musicoterapia?

O conceito de musicoterapia é bastante simples. Basicamente consiste na técnica de empregar música, arte, expressão e aprendizado ao propósito terapêutico. Em resumo prático, a música é feita de sons. Esses sons estimulam partes do nosso cérebro, e uma vez estimuladas a partir de harmonias e melodias felizes, o cérebro passa a ser estimulado, o que resulta na melhora do humor, concentração, memória e outras capacidades cerebrais.

Qual o efeito da musicoterapia?

A musicoterapia afeta diretamente o humor, promovendo bem-estar quase imediatamente. Seus efeitos benéficos possuem comprovação científica, associando o ato de ouvir e produzir música como inibidores de sintomas de depressão e ansiedade, além de agir de modo a melhorar a forma como o paciente se relaciona com outras pessoas.

Essa melhora em específico pode ser observada no decorrer das próprias sessões de musicoterapia, ao se observar como os pacientes se sentem mais confiantes em tocar e cantar durante as sessões terapêuticas. 

Como funciona uma sessão de musicoterapia?

As sessões estimulam o paciente a tocar, cantar e dançar. O psicoterapeuta é o responsável por orientar essas atividades. Normalmente realizadas em grupo, em parte pelo envolvimento social que é benéfico para o tratamento, as sessões de musicoterapia também podem ser realizadas individualmente. É importante que o paciente se sinta confortável, participando de acordo com sua predisposição de humor e conforto com o ambiente musical.

Quem aplica musicoterapia?

O musicoterapeuta é o profissional responsável por desenvolver as sessões. Ele precisa ter uma boa iniciativa e abordagem empática e acolhedora. É através dele que os pacientes se sentirão inicialmente confortáveis nas sessões. É recomendável que este profissional possua conhecimento de instrumentos musicais, para introduzir para os pacientes e supervisionar sua evolução no tratamento.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

FIQUE CONECTADO

0FãsCurtir
3,706SeguidoresSeguir
20,600InscritosInscrever
- Advertisement -spot_img

MAIS RECENTES